[Resenha] Descubra seus pontos fortes, Marcus Buckingham e Donald O.Clifton PARTE 1

Resenha do livro Marcus Buckingham e Donald O.Clifton, Descubra seus pontos fortes, 2008 (PARTE 1/2)

A mensagem de introdução do livro Descubra seus pontos forte de Marcus Buckingham e Donald O.Clifton é motivador: não é focando em pontos fracos que você vai conseguir melhorar, mas desenvolvendo seus pontos fortes.

“Para se destacar na área que você escolheu e encontrar satisfação duradoura no que faz, você vai precisar entender seus padrões específicos”

« Si vous souhaitez exceller dans le domaine que vous avez choisi et y trouver une satisfaction durable, vous allez devoir comprendre ce qui fait de vous un individu unique »

O que são exatamente os “pontos fortes”?

Um ponto forte é uma combinação de talento, conhecimento (savoir) e técnicas (savoir-faire). Combinados, esses três fatores asseguram “um desempenho estável e quase perfeito em determinada atividade”. Dito de outra forma: ponto forte é tudo que você pode realizar de forma consistente e quase perfeita. Exemplo: uma pessoa que se sente à vontade falando em público, que consegue fazer apresentações sempre bem-sucedidas, que gosta de falar em público desde pequeno e que sente muito feliz quando alguém lhe pede para falar em público… apresenta índices de ter um ponto forte.

  • Conhecimento, factual e empírico, é tudo que se aprendeu (ensinado em salas de aula, encontrado em manuais, colhido através de experiência)
  • Técnicas é a sequência de passos que, seguidos, levarão a um desempenho aceitável, ou dito de outra forma, é a capacidade de realizar qualquer ação em várias etapas (ex. saber construir uma introdução de impacto numa apresentação oral). As técnicas permitem evitar o esquema de tentativa-e-erro e incorporar diretamente ao seu trabalho as melhores descobertas dos melhores profissionais
  • Para os autores, o ingrediente principal é o talento definido como “qualquer padrão recorrente e inato de pensamento, sensação ou comportamento que possa ser usado produtivamente” (ex. eu gosto de falar em público desde pequeno). Mesmo traços aparentemente negativos podem ser chamados de talentos se puderem ser usados produtivamente. Técnicas determinam se você pode fazer alguma coisa, enquanto talentos revelam algo mais importante: com que qualidade e com que frequência você a faz.

Enquanto o conhecimento e a técnica são adquiridos, o talento é inato, natural. Exemplo: uma pessoa de vendas pode saber descrever as características de seu produto (conhecimento), pode aprender a fazer as perguntas certas, mais ou menos abertas, para trazer à tona as necessidades de cada prospect (técnica), mas jamais aprenderá a levar esse possível cliente a fechar negócio exatamente no momento certo e da maneira correta (talentos de Comando e Individualização)

Por ser a combinação de talento conhecimento técnicas, um ponto forte é ao mesmo tempo inato e adquirido. Disto decorrem duas lições ou consequenciais:

1) Na medida em que os talentos, como a inteligência, têm valor neutro, se você quer mudar sua vida para que os outros possam se beneficiar de seus pontos fortes, mude seus valores, não perca tempo tentando mudar seus talentos.

2) Não adiante tentar desenvolver um ponto fraco (através de conhecimento ou técnicas) se você não tem talento na área em questão. Ex. se você é ruim em contabilidade e se os números o incomodam profundamente, não adianta tentar se formar em contabilidade, menos ainda tentar mudar seu mindset. Neste caso, melhor procurar um bom contador. “Sem um talento subjacente, aprender uma técnica é uma ferramenta de sobrevivência, não um caminho para a glória”

Descubra seus pontos fortes começando pelos seus talentos…

De onde vem os talentos?

Os talentos, como padrões recorrentes, são criados pelas mais fortes conexões sinápticas em nosso cérebro. Depois de uma certa idade se tornam permanentes, pois dificilmente você será capaz de esboçar um desenho completamente novo. Constituem para o cérebro o caminho de menor resistência, o que você usa quando reage instintivamente e toma decisões. Dominam a tomada de decisões, e, assim, influenciam a performance definida como a soma de todas as minúsculas decisões tomadas ao longo do dia.

A partir disto, surgem algumas lições e desafios:

1. Pare de acreditar que o “senso” que temos do mundo é “comum” a todos.

2. Aceite sua singularidade duradoura, produto de sua rede mental única.

3. Entenda que sua inteligência e sua eficiência dependem de você tirando o melhor proveito de suas conexões sinápticas mais fortes (ou seja, não adianta você se queixar de seus pontos fracos, menos ainda reclamar da natureza que apagou e apagará necessariamente milhares de conexões ao longo de sua vida)

4. Identifique seus talentos mais poderosos, apure-os com técnicas e conhecimento, e você estará no caminho certo para ter uma vida realmente produtiva.

O que frequentemente é visto como transformação e melhoria de comportamento, muitas vezes é na verdade a simples aceitação de nossos talentos (que por definição nunca podem ser transformados). Afinal não mudamos, simplesmente aceitamos nossos talentos e reordenamos nossas vidas em torno deles, nos tornando mais conscientes.

Como identificar os pontos fortes?

Para poder desenvolver seus pontos fortes, cada um precisa antes de tudo identificar claramente seus talentos naturais, cultivá-los, e transformá-los em força. Mas como fazer isto? Ganhando em autoconsciência. São dois caminhos sugeridos pelo livro.

1. Autoanalise focada

Concretamente: observar suas reações imediatas, espontâneas, diante de situações com que se depara, notadamente sob extrema tensão, ver como você reage, descobrir padrões e tendências, comparar com outros, pois elas revelam a existência de fortes conexões mentais, portanto talentos dominantes. Ajuda até a explicar o desempenho de cada um no trabalho. Observar em especial as seguintes pistas de talentos: desejos, aprendizado rápido e satisfação/energia psicológica.

2. Teste online

Os autores propõem um outro caminho mais rápido e mais objetivo: realizar um teste online em formato de questionário destinado a identificar 5 principais talentos dentro de 34 identificados por uma pesquisa estatística ampla conduzida pela The Gallup Organization junto com 2 milhões de pessoas a quem fizeram perguntas abertas. Essa ferramenta, verdadeiro “identificador de talentos”, foi construído a partir do cruzamento de respostas em 2000 entrevistas conduzidas com gerentes sobre percepções e comportamentos.

… e foque todo seu tempo e energia em desenvolver seus pontos fortes!

Na sequência do livro segue uma lista dos 34 temas (capitulo 4), assim como respostas à perguntas frequentes (capitulo 5)… Descubra aqui.

Quer começar a aprender francês?

Conheça o Curso de Francês Online (CFOL) do IFESP, são cursos de francês para vários níveis e objetivos! Educação contextualizada que propõe uma imersão à cultura francesa!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Alexandrine Brami

Alexandrine Brami

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *