desenvolvimento-de-carreira-5-tendencias-profissoes-do-futuro

5 Tendências de Profissões do Futuro

Estamos testemunhando uma aceleração das principais tendências do futuro em relação ao mercado e aos modelos de trabalho devido, principalmente, à pandemia do Covid. O seu desenvolvimento de carreira deve estar à frente das mudanças que estão por vir, para isso selecionamos depoimentos de experts no segmento de recrutamento de talentos, reports do Fórum Econômico Mundial, insights de pesquisas do Linkedin e outras empresas, para compartilhar 5 tendências das profissões do futuro e como você pode se preparar para isso desde já.

Alguns fatores influenciarão a forma como este novo movimento acontecerá e suas consequências; dentre eles:

  1. A digitalização criada pelo humano que está pouco a pouco substituindo ele mesmo. 
  2. A globalização, que de um lado permitiu a mobilidade internacional de talentos, ideias e sistemas; e por outro, disseminou guerras, doenças e crises. Já debatemos no blog o futuro do mercado internacional, e neste artigo explicaremos sua influência no mercado de trabalho.
  3. Além disso, e também devido ao efeito que a pandemia causou no mundo e aos recentes protestos por equidade de raça e gênero, percebemos um impulso em direção a um futuro mais sustentável e equilibrado.

A seguir as 5 tendências para seu desenvolvimento de carreira de acordo com as profissões do futuro, baseadas no World Economic Forum.

  1. Não é surpresa, mas as habilidades tecnológicas dominam

A tendência será que a tecnologia irá, sim, substituir muitos empregos que são feitos de modo mais braçal e que não demandam tanta complexidade de atenção dos humanos. Isso já acontece, por exemplo, com caixas automáticos de supermercado que já existem em muitos países desenvolvidos. 

Além disso, o futurista Ian Pearson vê a impressão 3D, a IA e a robótica como três principais pilares dessa revolução tecnológica. 

No que se tange carreira e desenvolvimento dos profissionais da atualidade, a demanda futura de empregos não será tanta por hard skills (habilidades mais complexas) em tech. Porém, os trabalhos a surgir exigirão habilidades técnicas básicas, como alfabetização digital, web design ou design gráfico. Até mesmo os setores de marketing e vendas exigirão um entendimento básico de Inteligência Artificial. 

Além de investir no treinamento nos assuntos citados, é essencial estar sempre se atualizando em novos conteúdos de relevância da sua área, que são em sua maioria em línguas estrangeiras, principalmente o inglês.

Em contrapartida, a mesma tecnologia nos trará a oportunidade de explorar novas dimensões de nossas habilidades profissional e humana. 

3. Papéis que exigem mais habilidades centradas no ser humano são igualmente importantes

Habilidades praticamente impossíveis de automatizar, como criatividade, capacidade de persuasão e colaboração, estão no topo da lista das habilidades mais requisitadas para as organizações no futuro. 

O report do Fórum Econômico Mundial de 2020 selecionou os papéis chave para a nova economia, que estão essencialmente centrados nas profissões que cuidam de pessoas, apóiam o planeta, gerenciam novas tecnologias e comunicam produtos e serviços. 

São essas: profissões que cuidam do ser humano, Green Economy, People & Culture; dados e IA, engenharia e computação em nuvem, desenvolvimento de produtos; vendas, marketing e conteúdo; ciência e saúde e da infraestrutura digital. 

Um setor em especial cujo desenvolvimento de carreira ganha ainda mais espaço no mercado de trabalho do futuro é o de enfermagem. Esta função requer  um contato humano de zelo e acolhimento, além de um alto nível de inteligência emocional. 

Por isso, por mais avançada que seja a tecnologia de uma máquina ou IA, essas funções que exigem um contato humano são insubstituíveis. 

A área de enfermagem está em incrível ascensão no mercado internacional, com inúmeras oportunidades de emigração para países desenvolvidos, como o Canadá por exemplo. 

4. Os setores com maior crescimento

O Fórum Mundial de Economia também mostra um crescimento nos papéis em especialistas em aquisição de talentos, produção de conteúdo e assistentes de mídia social entre as profissões que mais crescem. 

Além disso, novas demandas surgem para se aliar ao setor de tecnologia, unindo o melhor das habilidades exclusivamente humanas e a eficiência dos robôs: o setor de RH, vendas e especialistas em sucesso de clientes. 

Essas funções, além de dependerem de um conjunto de habilidades interpessoais, requerem mais uma vez especialização e treinamento na área. A tendência será cada vez um maior intercâmbio de pessoas, conhecimentos e processos entre instituições internacionais. 

De oportunidades de intercâmbio em uma universidade no exterior a uma chance de uma vaga em uma multinacional, aprender idiomas é um meio, e não o fim para conquistar seus objetivos.

5. Quem você conhece – sua rede – ainda é importante

“Diga-me com quem andas que te direi quem és”. Este ditado ainda prevalecerá relevante, visto que as pesquisas indicam que morar em um bairro de alta renda, frequentar uma escola de renome e trabalhar em uma empresa de ponta pode levar a uma vantagem em até 12x em relação a acesso a oportunidades. 

Por isso, a importância do networking internacional que pode abrir portas no mercado global, além de facilitar a mobilidade entre pessoas e sistemas. 

No IFESP, sempre acreditamos em engajar para treinar. Um exemplo disso é o Social Learning como forma de motivar e aumentar a curva de conhecimento dos alunos de forma colaborativa através da partilha de experiências, insights e co-criação do conhecimento. 

6. Demanda por habilidades acima da média em Customer Success e Call Center

Com a atomização de diversos papéis, a dissolução de fronteiras como tendência gradual e um maior intercâmbio de pessoas e sistemas comunicando-se entre si de maneira mais escalável, muitas profissões ditas entry level passarão a ser mais exigentes.

O setor de teleatendimento e telemarketing está requisitando profissionais bilíngues para o time pois o mercado tem crescido no Brasil devido ao crescimento da economia nos últimos anos.

A realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Brasil em 2014 e 2016, além do fato de que empresas estrangeiras que antes contratavam mão de obra na Ásia e América Central agora se voltam para América do Sul em busca de parcerias abriram inúmeras oportunidades no Brasil. 

O público dessas empresas hoje, em sua maioria, é estrangeiro. Por isso, destaca-se e tem possibilidades de crescimento e promoções quem tem competência de fala e escrita corretas em outro idioma.

De acordo com report do British Council, apenas 5% da população brasileira fala idiomas

Os 95% da população que não tem capacitação linguística sentem no bolso, pois quem é fluente em idiomas ganha mais da metade do salário dos profissionais que falam apenas o básico de um idioma. 

O futuro do trabalho é agora.

Até 2030, é possível dizer que de 8 a 9% dos trabalhos demandados ainda não existem. Sair na frente no seu desenvolvimento de carreira quer dizer investir desde já em capacitação em soft skills, na aculturação digital e na capacidade de se comunicar e negociar com todos. 

Estamos pouco a pouco entendendo o significado de tecnologia estimuladora, ao invés da disruptiva. Principalmente no período de quarentena e isolamento social, as ferramentas tecnológicas de conexão que temos hoje foram essenciais para manter o engajamento de times, o aprendizado a distância e a união de pessoas globalmente em prol de vencer o desafio da pandemia.  

9 em cada 10 empregos exigirão habilidades digitais no mercado profissional do amanhã. O ensino a distância e as ferramentas de estudo e trabalho remoto serão essenciais para facilitar essa adaptação ao formato digital que norteará o futuro do trabalho.

Investir no desenvolvimento de carreira constantemente é essencial para se manter relevante em um mercado ultra competitivo e cada vez mais dinâmico e complexo do que o atual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *