educacao-treinamento-desenvolvimento-com-prazer

Edutainment: Aprender com Prazer

Entretenimento educativo (em inglês: edutainment) é uma metodologia que visa tanto educar quanto divertir. Quando se fala sobre educação, treinamento e desenvolvimento — tanto no setor de capacitação profissional quanto no e-learning — é comum ouvir falar em manter a disciplina e taxas de desistência. Entretanto, o que pode surpreender a muitos é o fato de que a taxa de churn (evasão do curso) está tão relacionada à qualidade do ensino quanto à motivação do aluno. 

É isso que vamos debater neste artigo sobre novas formas de aprendizado que inovam, inovando em uma experiência de aprendizado mais engajadora e divertida para o aluno; fazendo-o aprender sem nem perceber que está necessariamente estudando.

 Enquanto uma das primeiras produções a inaugurar o conceito de Edutainment tenha sido a Walt Disney Productions na década de 1940, e a metodologia tendo aparecido na TV na década de 1970 com a série Sesame Street (conhecida no Brasil como Vila Sésamo); este método antecede qualquer mídia ou tecnologia. 

O termo, que é a união de education + entertainment (educação e entretenimento, respectivamente em inglês) pode ter surgido recentemente, mas esta prática espontaneamente já acontecia há milênios; desde a época em que os homens pré históricos sentavam-se ao redor de uma fogueira para contar lendas, ensinando (e aprendendo) lições de vida valiosas.

A integração das novas tecnologias na educação, treinamento e desenvolvimento pode auxiliar no ensino através de mídias familiares de entretenimento. Essa metodologia já adotada pelo IFESP, baseada em blended learning ­(ou ensino híbrido), une diversas atividades e materiais lúdicos, como: TV, internet, vídeo games, filmes, música, websites, softwares, etc; e até mesmo canais de informação mais tradicionais, como jogos de tabuleiro e museus, por exemplo. 

Além disso, também faz parte do nosso arsenal de ferramentas a gamificação da jornada do aluno, inteligência artificial para correção de pronúncia, simulados interativos, e mais. 

Todas essas técnicas contribuem para melhorar a curva de aprendizado dos alunos e reduzir o nível de churn que é tão comum na aprendizagem de línguas.

Um dos principais requisitos para a retenção dos estudantes é a necessidade de engajar e motivá-los. Para tanto, é função do educador não apenas entregar conteúdo relevante, mas principalmente promover dinâmicas e atividades lúdicas que incentivem a criatividade e incite à curiosidade.

Como a geração atual está conectada 24/7 a devices eletrônicos, por que não incorporá-los no dia a dia de forma mais produtiva, fomentando um ambiente lúdico para estimular a aprendizagem?

Estudos indicam que o uso de ferramentas tecnológicas educativas aumenta em até 32% o rendimento dos alunos comparado ao conteúdo expositivo da maneira tradicional em aula. Uma das principais dicas que damos aos nossos alunos na aprendizagem de línguas é a imersão cultural, que pode ser feita através de centros de arte e cultura (até mesmo online), história do país, podcasts e músicas, filmes e séries de TV, e até mesmo games. Esta dinâmica, além de melhorar a curva de aprendizado, proporciona novos vocabulários e saberes ao arsenal do aluno de forma divertida.

No IFESP, acreditamos no social learning: uma forma de aprendizado que garante uma troca de conhecimento peer to peer através de drops de learning — seja pelos grupos exclusivos para nossos alunos no whatsapp, em que compartilhamos diariamente conteúdos atuais e relevantes da história e do mundo atual; ou pelas aulas ao vivo em pequenos grupos em que são discutidos temas de interesse; e até em nossas comunidades online, em que propomos networking e compartilhamento de experiências, saberes e informação voltada para o propósito do grupo, que é ter um passaporte para o mundo através da expansão da mente.

Movidos pela inovação como um de nossos valores, acreditamos que uma das principais vantagens do edutainment é dar espaço a novas soluções criativas para disseminar conhecimento, tomando o lugar das formas ultrapassadas de aprendizagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *