Project Based Learning (PBL) no ensino de idiomas: 7 passos para ensinar com contexto e significado

O Project Based Learning (PBL), ou aprendizagem baseada em projetos, permite que os alunos coloquem a mão na massa e proporciona contexto, resolução de problemas e multidisciplinaridade ao ensino de idiomas. Descubra como aplicar a metodologia em 7 passos no curso de francês!

 

A metodologia do Project Based Learning (PBL) atrela a aprendizagem ao mão na massa, colocando os estudantes como participantes ativos na construção do conhecimento. A partir de uma pergunta motivadora, alunos desenvolvem projetos para encontrar soluções a um problema lançado em sala de aula – parece distante da realidade do ensino de idiomas? Na verdade, não! Com o PBL, o curso de francês pode explorar diversos aspectos da cultura e história francesas, dando autonomia para que a turma explore aquilo que mais lhe interessa.

 

No Project Based Learning, o professor deve orientar os alunos, mas não entregar todas as respostas – cabe à turma investigar, buscar caminhos e criar soluções com aplicação real. Ou seja, o produto final do projeto não pode ser decidido antecipadamente pelo professor; ele apenas propõe um desafio, mas os resultados serão diversos (portanto, pedir que todos criem uma apresentação de Power Point não é Project Based Learning!).

 

Para entender como o PBL se aplica ao curso de francês, leia abaixo os 7 passos da metodologia e exemplos de como adaptá-los ao ensino de idiomas:

 

Os 7 passos do Project Based Learning adaptados ao curso de francês

 

1 – Pergunta motivadora: O professor introduz o tema com uma pergunta complexa, que desperte a curiosidade dos alunos e não possa ser respondida com uma simples pesquisa no Google. Vamos supor que a pergunta motivadora seja “Qual o mínimo valor diário possível que posso gastar em uma viagem pela França?”. É a oportunidade de avaliar o quanto a turma já conhece sobre o assunto; troquem ideias sobre a alimentação e turismo no país, o valor do euro, dicas de viagem, preço das atrações turísticas, etc.

2 – Lance o desafio: Agora, é hora de delimitar o problema a ser resolvido. Por exemplo, o desafio em um curso de francês poderia ser “Como realizar uma viagem pela França gastando apenas 50 euros por dia?”.

3 – Pesquisa: Com o desafio proposto, cada grupo vai tentar saber o máximo possível a respeito. O professor pode sugerir fontes de pesquisa, como websites, livros e revistas, vídeos, entrevistas com especialistas. Digamos que o desafio fosse viajar para a França com 50 euros por dia – boas fontes de pesquisa seriam revistas de viagem e mochileiros que já realizaram esse tipo de viagem com um budget apertado! Já nessa etapa, o PBL está levando o ensino de idiomas para um plano mais real.

4 – Criando o produto: Com todas as informações compiladas, os alunos vão criar produtos ou soluções para o desafio recebido em seu curso de francês. Não há formato pré-definido! A solução encontrada poderia ser um aplicativo que encontra os restaurantes e hotéis mais baratos nos arredores; um roteiro de viagem econômico, mapeando os dias de ingressos mais baratos para as atrações; estadias nas casas de franceses nativos; ou quem sabe um projeto para viajar pela França trocando trabalho por hospedagem e alimentação! Dependendo do nível de dificuldade do produto, o professor pode indicar mentores para seus estudantes (alguém que os ajude a desenvolver um aplicativo, por exemplo).

5 – Reflexão: professores, estudantes e mentores vão discutir as soluções apresentadas pela turma. Esse momento do Project Based Learning pode ser realizado em rodas de conversa, debates, ou uma “feira de ciências” em que todos passeiam pela sala visitando cada projeto.

6 – Respondendo à pergunta inicial: Retome a pergunta motivadora da primeira aula para verificar se as impressões dos alunos permanecem as mesmas ou mudaram. É aqui que eles irão consolidar seus aprendizados sobre a cultura francesa.

7 – Avaliação: Finalmente, o último passo do Project Based Learning consiste em avaliar o quanto a turma aprendeu – em um curso de francês, isso pode ser feito através de uma redação, um vídeo contando a experiência ou uma apresentação oral em frente à sala, por exemplo.

 

Tem ideias de projetos no ensino de idiomas que gostaria de compartilhar conosco? Adoraríamos ouvir suas experiências de PBL no curso de francês! Escreva para o nosso email! Au revoir!

 

Quer começar a aprender francês?

Conheça o Curso de Francês Online (CFOL) do IFESP, são cursos de francês para vários níveis e objetivos! Educação contextualizada que propõe uma imersão à cultura francesa!

 

Assinado por: Marcela Lorenzoni

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *