4 oportunidades perdidas por não falar idiomas

28 de maio de 2021
Por  IFESP

Falar inglês, espanhol, e até mesmo francês e outros idiomas deixou de ser uma habilidade extra e passou a ser um requisito básico. Isso é esperado pelas maiores organizações na hora do recrutamento, e principalmente nas oportunidades de ganhar uma promoção no trabalho.

Nem só de salários mais altos vivem os bilíngues e poliglotas. As oportunidades que essas pessoas têm por possuírem proficiência em línguas não param por aí. Quem fala diversos idiomas tem acesso a conhecimento de qualidade e específico em sua área. Além tem maiores chances de imigrar, ou até mesmo de ter uma experiência completamente diferente e imersiva quando viaja para o exterior. 

Ainda assim, como afirma a pesquisa realizada pelo British Council em 2013, apenas 5% da população brasileira fala inglês. Porém, quando línguas mais estratégica, como o francês, são colocadas em análise esse número cai drasticamente. 

A seguir, entenderemos o porquê pouquíssimos brasileiros falam idiomas, e quais oportunidades de fato o país está perdendo por não se comunicar com o mundo.

Oportunidades de desenvolvimento de carreira

Seja uma chance de uma promoção no trabalho, uma vaga em uma multinacional ou até mesmo a transferência para trabalhar em outro país, todas essas possibilidades ficam ainda mais acessíveis quando se tem competências linguísticas. 

Já mencionamos que uma das tendências para o mercado de trabalho pós pandemia será o recrutamento de pessoas fora do país de origem da empresa. Sendo assim, as chances de um brasileiro ser contratado por uma empresa americana, francesa, ou até mesmo inglesa já faz parte do “novo normal”. 

Já para quem busca uma carreira na diplomacia, falar idiomas é o primeiro passo de uma jornada que requer preparação, empatia por outras nações e conhecimentos técnicos específicos. 

Além disso, a diferença salarial entre uma pessoa bilíngue e outra que tem apenas o conhecimento básico da língua pode chegar a 70%, a depender do nível hierárquico, de acordo com pesquisa realizada pela Catho. 

Isso, porque o número de brasileiros que falam idiomas básicos, como inglês por exemplo, é tão baixo, que as empresas oferecem compensações acima da média para suprir esta demanda no mercado para atrair e reter profissionais qualificados.

Ao mesmo tempo, muitas empresas já consideram o inglês como requisito básico para o processo seletivo. Em diversos setores chave, o domínio do idioma passa a ser obrigatório. Então, se você sonha em trabalhar em uma grande multinacional, apostar em idiomas estratégicos, como o francês, pode ser a chave de sucesso na realização dos seus sonhos.

Os setores com maior demanda por profissionais fluentes em idiomas são:

  • Tecnologia da informação
  • Administração
  • Marketing & Comunicação, que se abstém de fontes estrangeiras para comunicar as novidades para o Brasil. 
  • Turismo, 
  • Comércio exterior
  • Finanças
  • Relações públicas
  • Engenharia e Ciências, que contam com manuais e relatórios de alta qualidade em inglês. 

Esteja você buscando uma recolocação profissional ou até mesmo um desenvolvimento da sua carreira dentro da empresa ou internacionalmente, falar idiomas é um requisito básico para se manter relevante em um mercado de trabalho cada vez mais multicultural e interconectado. 

Educação contínua

O fator de sucesso na vida é estar em constante desenvolvimento e em busca de novas oportunidades de aperfeiçoamento. Seja essa uma graduação, mestrado, curso de especialização no exterior ou simplesmente ter acesso a conteúdos e treinamentos de capacitação na sua área em uma língua estrangeira, falar idiomas é primordial para a educação contínua.

A maioria dos conteúdos de capacitação são em línguas estrangeiras, principalmente em inglês. De TI a marketing, muitos artigos, cursos, livros, conferências são de países anglófonos (falantes da língua inglesa), ou publicados no idioma universal a fim de terem maior abrangência.

Mesmo com softwares de tradução disponíveis na palma das mãos, sabemos que a tecla “SAP” nem sempre é relevante, principalmente em temas mais complexos. Por isso, consumir o conteúdo em sua versão original é estar mais perto daquela cultura e ter uma nova visão de sobre determinado assunto a partir de uma língua diferente.

Além disso, pessoas bilíngues podem ter a chance de iniciar ou continuar seus estudos em universidades internacionais. Na França, novamente, não faltam oportunidades: o país é um dos poucos da Europa e do mundo com as taxas universitárias mais baixas para estrangeiros! Mesmo após o recente aumento destas, o país é reconhecido internacionalmente pela excelência no ensino e pelos benefícios públicos estendidos aos estudantes, mesmo que estrangeiros. 

Oportunidades de imigração

Ainda que aprender idiomas diversas por razões práticas estejam atreladas à motivação, também existem aquelas movidas por os sonhos. Milhares de brasileiros sonham em emigrar, mas poucos têm a oportunidade devido à falta de qualificação.

O Canadá, por exemplo, é um país que está cada vez mais com mais oportunidades de imigração de outras nacionalidades. São inúmeros os brasileiros no país, e um dos principais requisito que qualifica a conquista do visto de imigração é a proficiência no idioma. Seja esta no inglês ou ainda no francês, pois ambos são idiomas oficiais do país.

A França é outro país que recentemente reabriu suas portas para os brasileiros terem a oportunidade de passarem 1 ano no país trabalhando e viajando com o visto Férias-Trabalho. O fator qualificável é, novamente, possuir um certo nível de francês para poder aproveitar a vida no país. 

A Nova Zelândia é outra nação que possui relações internacionais diplomáticas com o Brasil. O país concede o mesmo tipo de visto, Férias-Trabalho, a brasileiros que tenham proficiência em inglês para serem elegíveis ao sorteio do visto anualmente. 

Viagens ao exterior

A quarentena fez com que o desejo de viajar para o exterior ficasse ainda mais latente para muitas pessoas. E embora não saibamos quando as fronteiras abrirão novamente, uma coisa podemos ter certeza: os hábitos de viagens vão mudar significativamente!

De slow travel a um contato mais profundo com os locais, falar a língua local ou poder se comunicar através de uma língua universal torna muito fácil a imersão cultural. Esta, será uma tendência para o turismo 2.0 que surgirá no mundo pós pandemia. 

Enquanto as viagens estão interrompidas devido à quarentena, você pode aproveitar para fazer um mergulho cultural no seu país dos sonhos ao mesmo tempo em que aprende a língua nativa através dos nossos cursos imersivos. 

A solução: capacitação em idiomas de forma otimizada

Com um déficit no mercado de learning em idiomas no país, podemos entender o baixo número de brasileiros que fala idiomas. Entretanto, soluções inovadoras de e-learning estão aqui para otimizar os estudos em línguas de forma rápida, com excelência, e ainda com entretenimento. 

Entendendo a importância de falar línguas estrangeiras e as inúmeras oportunidades perdidas pelos brasileiros que não falam idiomas, percebemos que aprender idiomas é um meio, e não o fim para realizar sonhos. 

Seja seu objetivo destacar-se no mercado, viajar ou estudar no exterior, imigrar, ou simplesmente ter um arsenal de informação mais rico culturalmente — a chave para resolver este problema está literalmente em nossas mãos.

Se sua empresa quer oferecer uma solução completa de ensino de um novo idioma, conheça a Lingopass by IFESP. Uma plataforma 100% online, multi-idiomas, com professores nativos e acompanhamento em tempo real dos alunos.

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.