Mobilidade Internacional e Desenvolvimento da Carreira

28 de agosto de 2020
Por  Alice Oliveira

As possibilidades de mobilidade internacional profissional e acadêmica estão em alta graças às inúmeras oportunidades de migração para países com necessidade de mão de obra qualificada, além de cursos e treinamentos no exterior também estarem mais acessíveis e os brasileiros; que por sua vez estão mais atentos à necessidade de se capacitar em uma cultura internacional e multicultural. 

De acordo com a consultoria de RH ManpowerGroup, essa nova tendência deve se consolidar a cada ano, tendo em vista que  24% das companhias buscam profissionais estrangeiros para trabalhar em seus respectivos países, de acordo com pesquisa global sobre mobilidade internacional realizada pela ManpowerGroup.

“Um em cada quatro empregadores em todo o mundo busca talentos fora de seus países.” afirma Riccardo Barberis, country manager da consultoria. Além disso, diante de uma crise econômica, instabilidade política e ainda a quarentena que fez muitas pessoas repensarem seus objetivos de vida; o número de profissionais que desejam uma mudança de horizonte ao ter a possibilidade de estudar, trabalhar ou morar no exterior só tem crescido. 

 

Benefícios para Ambos as Partes

 

Seja você pessoa física ou gestor de pessoas, esta oportunidade pode ser um desejo em comum que pode trazer resultados significativos mutuamente. 

Do ponto de vista do colaborador, este acelera seu desenvolvimento profissional ao vivenciar uma experiência internacional, outra cultura organizacional, diferentes e até mais concorridos processos de seleção, além do dia a dia em outro país trocando com colegas de diferentes culturas.

De um ponto de vista organizacional, uma empresa que busca se internacionalizar, entende que à medida que os colaboradores crescem, a empresa cresce junto. Portanto, os resultados são diretamente proporcionais ao investimento que direcionam a um de seus ativos mais valiosos: suas pessoas. 

Já o setor de RH estratégico, que está atento à estrutura da organização como um todo, percebe de longe um talento em potencial que pode ser desenvolvido ainda mais em uma sede internacional da empresa, ou ainda através de cursos no exterior.

Além disso, outras motivações dos gestores para internacionalizar seus talentos é a busca por novos conhecimentos, processos e ideias para a empresa no país de origem; a necessidade do funcionário em um cargo de liderança para um projeto; ou ainda a preparação para o colaborador assumir, futuramente, um cargo maior. 

 

Replicação da Cultura Organizacional e Otimização do Trabalho

 

Essa tendência de mobilidade internacional facilita a troca de conhecimentos inovadores, que otimizam a indústria e aumenta a competitividade. 

Quando o colaborador retorna a sua organização local, os resultados são três vezes maiores em relação a alguém contratado no mercado local, de acordo com a consultoria Manpower. 

Ao facilitar a mobilidade entre países, a organização transmite sua cultura e processos desde seu país de origem a suas filiais, mantendo o padrão de qualidade, o que diminui custos.

 

Como se preparar para a mobilidade internacional

 

As multinacionais são um meio a alcançar esse objetivo – inclusive, o inglês não é o principal idioma em voga neste caso; mas o francês já é requisito em vagas em diversas multinacionais. Por isso a urgente necessidade de investir em treinamentos corporativos, especialmente no setor de línguas estrangeiras. 

Por outro lado, a mobilidade internacional pode causar desafios como a falta de afinidade cultural. Especialmente no âmbito profissional, sabemos que existe um código de conduta que pode variar de país para país.

Portanto, além do idioma a ser estudado e aperfeiçoado para garantir uma vaga em uma empresa no exterior, é ideal que o profissional estude também comportamentos e hábitos da nova cultura. 

Como já vimos, o aprendizado de idiomas ajuda a assimilação na prática das principais skills procuradas por recrutadores atualmente; especialmente as sociocomportamentais, ou soft skills: como colaboração, empatia, criatividade, etc.

Além disso, uma forma de otimizar ainda mais este processo de preparação para a mobilidade internacional é através de cursos de idiomas baseados no modelo LSP (languages for special purposes), que focam no ensino da língua alvo aplicada em contextos reais; como Business English, Francês Monde des Affaires, etc.

Se você, gestor de pessoas, almeja a mobilidade internacional de suas equipes; já pode começar desde já a investir em treinamentos corporativos em idiomas como uma forma de engajar e motivar seu time, garantindo a produtividade e resultados.

 

Em nossas soluções corporativas, por exemplo, os colaboradores aprendem na prática costumes e comportamentos típicos das culturas na língua alvo, como por exemplo: como se comportar em reuniões, como enviar um email, etc.

Os treinamentos são uma ótima oportunidade de adaptação e preparação para a nova ordem mundial de cooperação e negociação internacional por garantirem a capacitação na língua alvo e ainda promovem uma imersão cultural aplicada para o contexto profissional.

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.