Como estabelecer metas e trilhas para aprender francês mais rápido?

Tutores do CFOL auxiliam alunos na elaboração de planos de estudos personalizados, com dicas sobre material, organização da rotina e follow-up

Langue de l’amour, langue de Molière, langue de la diplomatie… Razões não faltam para estudar o idioma francês, mas nem sempre o entusiasmo e a paixão dos alunos resultam em progresso rápido e aprendizado sólido. Para obter sucesso, é preciso a dose certa na organização dos estudos, com o acompanhamento de experts no ensino de francês. É por isso que o CFOL (Curso de Francês Online) – escola virtual do IFESP – organizou uma série de dicas de estudos e investiu em tutoria, para olhar bem de perto l’apprentissage.

“Nosso objetivo é ajudar os alunos no máximo possível, ajudando a definir o ritmo dos estudos e dando suporte quanto a dúvidas pedagógicas, metodologia e também problemas técnicos na plataforma”, destaca Marie Autefort, manager de EAD no polo pedagógico do IFESP e responsável pela equipe de tutores.

O coordenador pedagógico do IFESP, Pierre Lagrave, explica que os alunos devem primeiramente analisar fatores como rotina e ambiente propício para os estudos. Requisitos preenchidos, o ideal seria estudar 30 minutos por dia. “Quando o aluno mantém o ritmo de estudos diário, ele consegue completar um módulo por semana e concluir um nível do curso em 3 ou 4 meses”, pontua. Assim, é possível finalizar o curso básico inteiro em 9 meses ou 1 ano.

Com uma meta clara em vista, o aluno também pode mensurar a nota que deseja obter ao fim dos ciclos de estudo. Todas as atividades recebem notas, gerando uma média calculada pelo sistema em função, inclusive, do número de tentativas de realização dos exercícios. Dessa forma, é possível refazer as atividades e melhorar a pontuação.

Mapas mentais e fichas de erros

Uma das dicas do CFOL é elaborar mapas mentais para cada lição ou conjunto temático, conectando informações através de tópicos e esquemas que ajudem na memorização. “Não é porque a plataforma é 100% online que o aluno não pode ter um material físico, como cadernos, fichas e listas de vocabulário, pois isso ajuda muito no processo de aprendizagem”, ressalta Pierre.

A equipe pedagógica insiste na importância de baixar ou imprimir o caderno de exercícios complementares, integrado pelas correções. Ao se deparar com erros frequentes, o CFOL aconselha a produzir fichas com tais ocorrências, que devem ser consultadas antes de escrever uma nova redação ou iniciar uma sessão de estudos.

Tutoria e fórum de conversação

Por fim, é importante que os alunos se mantenham em contato com quem passa pela mesma experiência de estudos.

“Nossos alunos nunca estão sozinhos: além de se conectarem com os tutores, eles podem conversar com outros alunos no fórum de nossa plataforma, partilhando, por exemplo, sugestões de filmes e músicas”, afirma Pierre, lembrando que a comunidade ifespiana já conta com mais de 5 mil inscritos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Pierre Lagrave

Pierre Lagrave

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *