Instituto Federal do Maranhão ganha Bolsas do CFOL no Programa Adotando Escolas

13 de julho de 2020
Por  Alice Oliveira

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA), foi o primeiro dentre as 10 escolas selecionadas para o programa do IFESP, Adotando Escolas, a ser uma instituição de ensino superior e técnico. A campanha de responsabilidade social visa angariar 200 bolsas de estudos do Curso de Francês Online para professores da rede pública brasileira. 

O que destaca a instituição além das conquistas no estado e de seu currículo de excelência, é a existência do centro de línguas aliada ao Instituto: o CEPELI (Centro de Estudos, Pesquisa e Extensão da Linguagem).

Desde 2016 como pioneiros no Maranhão com a iniciativa federal no ensino de idiomas, o CEPELI nasceu com a missão de fomentar espaços de ensino e aprendizagem de línguas, de pesquisa, de formação profissional e de extensão. 

Focando na democratização das línguas e sua importância na educação contínua e desenvolvimento profissional, o Centro possibilita à comunidade a capacitação nos idiomas inglês e espanhol — tanto para alunos e funcionários atrelados ao Campus do IFMA, quanto para os cidadãos da cidade. 

 

A importância do aprendizado de línguas no meio acadêmico

À frente da iniciativa, Joniery Rubim, professor de inglês e português há 20 anos e coordenador do Centro, acredita que a formação dos colaboradores e alunos em uma ou mais línguas visando a mobilidade acadêmica e a cooperação internacional terá um impacto direto no desenvolvimento profissional dos docentes, assim como nos benefícios recebidos pela comunidade local graças às práticas do Instituto na cidade. 

Com o objetivo de capacitar professores da rede pública brasileira na língua francesa, para que estes possam, por sua vez, estender este conhecimento a seus alunos, suas escolas e sua comunidade local através de novas práticas inovadoras e criativas de ensino; a campanha Adotando Escolas foi lançada em Março de 2020, em meio ao decreto de quarentena no Brasil. 

O IFESP já tinha em mente as mudanças significativas que estariam por vir decorrentes da pandemia, por isso criou o projeto visando formar os educadores tanto na cultura francesa quanto na cultura digital. Acreditando no poder de tecnologias e ferramentas de ensino que fomentam a criatividade e inovação, o objetivo também é de acentuar a curva de aprendizado desses professores-alunos. 

Chegando como uma solução para uma missão que já buscavam, o aceite para o programa foi uma oportunidade para o corpo docente do Instituto, que já idealizava agregar o aprendizado da língua ao repertório. Foi, inclusive, uma das professoras do Centro, que era aluna do Curso de Francês Online, quem recomendou a escola ao processo seletivo da campanha. 

“Agora, com 23 profissionais sendo capacitados, temos certeza absoluta que muito em breve teremos a contribuição desses docentes como multiplicadores da língua francesa; para que futuramente possamos ofertar cursos de Francês aos nossos alunos.”, conta o coordenador do Centro, Joniery Rubim. 

Os desafios do ensino a distância na rede pública

Em meio a mudanças drásticas no modo de ensino e de trabalho dos profissionais, Joniery acredita que o maior desafio que o Instituto enfrenta hoje é continuar ofertando uma educação de qualidade à comunidade diante do desafio que é a inclusão e acessibilidade digital dos alunos. 

Uma questão bastante em pauta nos veículos de notícias atualmente é o fato de que muitos alunos da rede pública não possuem acesso à internet ou a uma infraestrutura que os possibilite conforto e desenvoltura no ensino a distância. É o caso de muitos alunos do IFMA, que não dispõem de conexão e/ou de equipamentos adequados para participar de aulas não presenciais de modo efetivo. 

Para solucionar tal desafio, a direção do Instituto se reuniu para pensar soluções para o problema comum dentre milhares dos estudantes do campus. Desde o início da pandemia, o corpo docente realiza treinamentos e cursos de capacitação ofertados pelo IFMA para se atualizarem nas tendências tecnológicas.  

“Uma solução pensada pela direção para que nenhum de nossos alunos fique de fora das aulas seria que nossos cursos sejam ofertados no modo de ensino híbrido. Neste modelo, os alunos teriam aulas semi-presenciais para que possam tirar dúvidas, serem avaliados e poderem praticar a conversação na língua alvo”, conta o coordenador do Centro de Línguas do IFMA, cujos cursos nesta nova modalidade terão início a partir de Agosto. 

 

As soluções inovadoras do IFMA e CEPELI para se adequar ao novo normal

Similarmente aos cursos do IFESP, os cursos de línguas do CEPELI funcionam com atividades síncronas e assíncronas. Ou seja, esses métodos permitem que cada aluno possa acessar módulos do curso de acordo com sua disponibilidade e agilidade, sem depender do acompanhamento da turma. 

Com muitas similaridades à metodologia de ensino do IFESP, o Centro de línguas do IFMA também trabalha com turmas pequenas de até 25 alunos, fazendo com que cada aluno seja melhor assistido pelo professor; além de ter maior interação com os colegas

Além disso, suas aulas são conduzidas na língua alvo, e os professores têm se adequado às novas tendências de ensino, usando metodologias ativas e mais inovadoras.

 

A importância da língua francesa na educação contínua e no mercado profissional

Em relação a sua localização estratégica e já antenado nas tendências de cooperação internacional, Joniery conta como a história do estado do Maranhão está atrelado à cultura francesa: “Foi durante o período da França Equinocial (1612-1615), quando tentaram instaurar uma colônia francesa no norte dos territórios portugueses na América, que foi fundado o forte de São Luís, do qual originou São Luís, capital do Maranhão; a única capital de estado brasileira fundada por franceses.”.

Ele acrescenta ainda dados da Associação Internacional de Francofonia, constando que “o francês é o 5º idioma mais falado do mundo; e que assim como o inglês, é um idioma falado em todos os continentes.”

Pelo fato do francês ser uma língua estratégica, o coordenador do Centro afirma que “nossa instituição está atenta ao crescimento do número de falantes de Francês no Brasil e no mundo; e pretende investir na oferta de cursos de Francês para nossa comunidade visando a mobilidade acadêmica internacional de nossos docentes e discentes.” 

 

Os próximos passos para o Insituto após participação na campanha do IFESP

“Desde 2016, já formamos mais de 200 alunos, distribuídos nos cursos de Inglês básico e intermediário, assim como Espanhol básico; visando o desenvolvimento das quatro competências linguísticas: leitura, escrita, audição e fala.”, conta Joniery sobre o histórico de conquistas do Centro. 

Graças à iniciação na língua francesa pela campanha Adotando Escolas do IFESP, o CEPELI pretende abrir uma turma de Francês básico a partir de 2021 através de um edital público com vagas para toda a comunidade interna e externa do IFMA Campus Caxias.

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.