Tendências RH e T&D para 2020 em diante, de acordo com pesquisa do Linkedin

28 de setembro de 2020
Por  IFESP

O Linkedin divulgou em Maio deste ano seu Relatório de Aprendizagem no Local de Trabalho 2020 em relação às tendências de RH e T&D (treinamento e desenvolvimento) das empresas. Neste artigo, mostraremos as descobertas mais relevantes para a área e as principais áreas de foco e investimento deste setor.

O RH das empresas hoje tem um posicionamento estratégico, e especialmente o setor de T&D é um parceiro essencial para o crescimento e a inovação da organização. Eles têm a importante missão de ajudar as equipes a fortalecer suas habilidades, e se manter adaptável e flexível em meio a uma série de mudanças sem precedentes. 

De acordo com a pesquisa de CEOs da PWC 2019, 79% dos CEOs em todo o mundo estão preocupados em relação à falta de habilidades essenciais em sua força de trabalho e o quanto isso ameaça o crescimento futuro da sua organização. 

Do ponto de vista do mercado, de fato a qualificação é necessária visto que muitas empresas aumentaram seus investimentos no mercado internacional e iniciaram seu processo de internacionalização ao longo dos anos, ocupando 40,8% dos países do mundo com subsidiárias próprias ou franquias. 

Uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral indica um aumento gradual de 1,0% no grau de internacionalização de organizações a cada ano. Portanto, profissionais qualificados em idiomas são o fator de sucesso para falar por essas empresas em qualquer lugar do mundo.

Sendo o Brasil a 9ª maior economia do mundo, porém estando apenas na 25ª e 26ª posições no ranking de exportação e importação global; não se tem dúvidas de que a aquisição de novas competências por parte dos colaboradores é fundamental para a expansão de empresas internacionalmente. 

Em muitas empresas, alguns executivos fazem dos treinamentos obrigatórios para incentivar a aprendizagem em toda a organização. Isso porque grandes líderes entendem o valor que o T&D oferece às suas organizações, e a tendência é que os orçamentos para esses treinamentos continuem a crescer.

Em 2017, por exemplo, 49% dos profissionais de T&D citaram o orçamento como restrição para o aprendizado contínuo de seus talentos. Já em 2020, de acordo com relatório do Linkedin, apenas 27% dos profissionais de L&D citaram o orçamento como a principal preocupação.

 

Mudança de paradigmas

 

Há um certo tempo, o único foco do departamento de T&D era o treinamento em compliance. E enquanto esse é um assunto importante a ser estudado, nos últimos anos este setor foi muito além e se tornou um grande aliado na liderança e gestão da organização. 

Esses profissionais entendem que à medida que os colaboradores crescem, a empresa se expande junto. Portanto, hoje os gestores de pessoas no setor de treinamento e desenvolvimento tornaram-se um apoiador do desenvolvimento de carreiras, gerando um impacto significativo nos negócios.

A principal mudança que ocorreu nos últimos anos até então foi que os treinamentos conduzidos por um professor já estavam em processo de migração para o aprendizado online antes da pandemia, e agora foram acelerados e melhor aceitos pelos profissionais antes relutantes ao modelo EAD. 

 

Tendências e Desafios para o RH em 2020 em diante

 

O desafio enfrentado hoje pelos profissionais de recursos humanos é encontrar maneiras inovadoras de gerar engajamento e potencializar os talentos para medir o impacto do aprendizado nos negócios.

Ao mesmo tempo, eles também estão de olho no futuro e atentos à requalificação que virá nos próximos 3-5 anos. Será o futuro do mercado de trabalho, quando a transformação digital e a automação estarão cada vez mais presentes na força de trabalho global.

Enquanto em 2018 apenas 35% dos gestores de pessoas investiam em e-learning, hoje 57% dos profissionais de RH do mundo todo planejam gastar mais em programas de capacitação online. Na Índia, especialmente, esse número sobre para 72%. O jogo virou, e hoje apenas 38% prevê investir majoritariamente em treinamentos presenciais.

 

O Foco do T&D

 

Sabendo que boa parte das empresas está investindo no crescimento de seus profissionais, ao entender onde a empresa quer chegar, pode-se traçar um plano para a capacitação dos colaboradores em idiomas de forma que, além de inúmeras oportunidades de internacionalização, o aprendizado contínuo será melhor aproveitado com a proficiência na língua universal, por exemplo.

Ainda sobre os resultados do relatório realizado pelo Linkedin, cada país difere em relação à sua área de foco em se tratando de treinamento e desenvolvimento. Nos EUA, o foco está no engajamento dos colaboradores; enquanto países como Alemanha, Índia e Austrália estão mais preocupados em capacitar colaboradores para o ensinamento auto dirigido.  

Porém, a principal área foco dos profissionais de T&D globalmente é a avaliação da eficácia de programas de aprendizagem. Sabendo o quão dispendioso pode ser essa avaliação, graças às soluções corporativas do IFESP para otimizar o tempo do RH— que conta com  dashboards de assiduidade, reports de progresso e automação do financeiro, os gestores de pessoas podem investir seu tempo fazendo o que realmente importa: desenvolvendo seus talentos. 

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.