[EQUIPE] Paulo César Teles – Instrutor de Francês

8 de agosto de 2018
Por  IFESP
Especializado em comédia grega antiga, Paulo César Teles constrói uma apaixonante carreira acadêmica focada na área de estudos literários, da qual faz parte sua formação em língua francesa. O jovem cearense de 25 anos é instrutor de português e de francês no IFESP, atividades de que fala na conversa abaixo, marcada por seu tom calmo e por grande simpatia. Nela, Paulo também avalia a metodologia do instituto e conta um pouco sobre seus gostos e seus objetivos.
 
Fale um pouco sobre tua trajetória acadêmica e profissional.
Paulo César – Fiz graduação em Letras Português-Francês pela Universidade Federal do Ceará e, depois, fiz um mestrado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, com pesquisa sobre comédia grega antiga. Isso me levou a estudar um pouco de grego antigo. Agora tenho pensado em fazer um doutorado voltado para a literatura francesa.
 
Como surgiu tua paixão pela língua francesa?
PC – Meu primeiro contato com o francês ocorreu no Ensino Médio e eu comecei a estudar a língua antes mesmo da graduação, pois sempre gostei da musica, do cinema, enfim, da cultura francesa como um todo. Dei aulas de francês por 2 anos no núcleo de línguas da Universidade Estadual do Ceará, além de aulas de português em escolas particulares. Também fiz um estágio pedagógico de um mês, como bolsista do Instituto Cavilam, na cidade francesa de Vichy, num programa que acolheu estudantes do Nordeste. Foi uma experiência sensacional, que reuniu gente de diferentes nacionalidades, como sul-coreanos, tchecos e ingleses.
 
E que atividades você desempenha no IFESP?
PC – Estou na equipe pedagógica desde janeiro. Quando me candidatei à vaga, tive interesse no instituto justamente porque ele lida com a língua francesa e com educação. No IFESP, sou instrutor de francês e de português em aulas presenciais e também online, via AdobeConnect, para os níveis básico e intermediário. Também contribuo com a revisão do português em nossa plataforma de ensino online, bem como com algumas traduções de conteúdo.
 
Como você avalia a metodologia de ensino do instituto?
PC – Considero o material e a metodologia bastante inovadores, pois estão ligados ao ensino a distância. É uma aposta ousada e moderna, e vejo que a equipe está muita atenta a isso. Além disso, os alunos estão se adaptando facilmente à proposta de ensino online e se demonstram a vontade, tirando dúvidas tanto durante a aula quanto por e-mail.
 
Que características do IFESP você atribuiria como pontos fortes do instituto?
PC – Do que eu mais gosto é o espírito de equipe, que eu acho muito bacana, pois todos trabalham juntos. Não há bloqueio, nem barreira para perguntar ou tirar dúvidas. É um instituto marcado pelo dinamismo e pela inovação, que vem também por parte da diretoria, sempre buscando novos recursos para a melhor qualidade de ensino.
 
Quais são teus hobbies e tuas paixões?
PC – Adoro estudar línguas, como o grego, por exemplo. Já até contribui com a tradução de uma comédia antiga. Também gosto de música e ouço direto, sobretudo rock alternativo e MPB. Gosto ainda de séries e filmes, e de desenhar – mas eu desenho apenas por hobby, não é profissional.
 
E quanto aos teus objetivos?
PC – Pretendo me tornar professor universitário de Literatura. Para chegar a isso, quero prestar o processo seletivo para fazer doutorado na USP e, se tudo der certo, tentar um doutorado-sanduíche na França.
 
Você também quer fazer parte da nossa equipe? Vagas abertas em nosso site https://wwww.ifesp.com.br/trabalhe-conosco

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.