RH

O segredo para manter os funcionários ocupados e satisfeitos

30 de julho de 2018
Por  Alexandrine Brami

Colaboradores na defensiva não são 100% eficientes, e é por isso que o gerente deve extrair seu potencial completo.

 

Uma equipe pode perder o ritmo e a produtividade quando possui colaboradores relegados ao ostracismo ou descrentes em relação ao reconhecimento que merecem obter da parte de seus gestores. Cabe ao gerente detectar esses dois tipos de problema e corrigi-los imediatamente, antes que as engrenagens da equipe se enferrujem pouco a pouco.

Recordamos aqui duas ações simples que devem ser praticadass pelo gestor de sucesso para evitar que a locomotiva saia dos trilhos.

 

Propulsionar o espírito de iniciativa

 

A primeira estratégia de gestão é incentivar a autonomia e a iniciativa dos colaboradores, mantendo-os sempre ocupados.

Para ilustrar melhor a dica, é possível comparar os membros de uma equipe de trabalho aos soldados de uma tropa. Quando os soldados se encontram na defensiva, à espera dos movimentos dos adversários, eles permanecem ansiosos e são pouco eficientes. Nunca espere que sua equipe chegue a esse ponto, quando o espírito de iniciativa já não existe mais!

Há, inclusive, outro tipo de efeito colateral decorrente da falta de iniciativa: o excesso de confiança em si mesmo. O ostracismo, a imobilidade e a passividade são, muitas vezes, frutos de uma espécie de crença exacerbada na competência, o que leva o colaborador a uma zona de conforto na qual ele deixa de mostrar o melhor de si, deixa de ser produtivo.

Apresente desafios aos colaboradores! Faça com que eles reencontrem o entusiasmo e não hesite em atribuir-lhes novas tarefas e missões, para mantê-los ocupados durante o tempo de expediente e levá-los a buscar ideias inovadoras.

 

Focar na satisfação de todos

 

A segunda tática do bom gestor é manter os colaboradores satisfeitos em suas necessidades básicas. A satisfação em relação ao ambiente de trabalho e às funções desempenhadas é a alma do bom desempenho dos funcionários.

Isso não significa que o gerente deva bajulá-los! Ele deve apenas levar em consideração o bem-estar de todos, sem se concentrar cegamente apenas nos objetivos empresariais. O descaso do gerente leva os funcionários a se afastarem da empresa, o que desacelera o ritmo da produtividade.

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.